terça-feira, 20 de outubro de 2009

O BEM E O MAL
de Tere Penhabe

São dois senhores distintos,
que se conhecem tão bem
há milênios que se encontram
e que brigam por alguém.
Há quem diga que o primeiro
nada tem de sensual
mas o segundo, se existe,
é o tal do homem fatal!

Estamos sempre querendo
com o Bem nos encontrar
mas é o Mal que atravessa,
nosso caminho mais vezes
porque o Bem é quase sempre,
um sonho a acalentar
mas o Mal está presente,
em todos os nossos reveses.

O Bem sempre se comporta,
e se veste com esmero.
O Mal é uma coisa torta,
que só leva ao desespero.
Do primeiro nos vem a paz,
a alegria de viver
No segundo está o segredo,
de se viver por prazer.

Eles são tão parecidos,
que muito nos enganamos
Mais de uma vez nós contamos,
a vida inteira com um
quando menos se espera,
é o outro que vem chegando
quase sempre o Mal,
no lugar do Bem ficando.

Ninguém passa por esta vida,
sem aos dois bem conhecer
porém muitos vão embora,
sem nem ao menos saber
se foi o Bem ou o Mal
que em seu coração esteve
passeando em sua alma,
dormindo na sua rede.

Aos amigos é o Bem,
que eu desejo apresentar
mas ao estender a mão,
pode em Mal se transformar
e esse grande segredo
não há como decifrar
é preciso correr o risco,
o Bem e o Mal encarar.

Para aqueles que amo,
o mistério vou desvendar
se quer o Bem conhecer,
e com ele sempre estar
tenha no rosto um sorriso,
e não o deixe se apagar
que o Mal jamais convive,
com um sorriso a brilhar.

Agora vou caminhando,
com o Bem vou me encontrar
mas se na curva da estrada,
o Mal me interceptar
eu conto com o seu amor,
para me fazer voltar
porque só o amor consegue,
o Mal em Bem transformar.

Tere Penhabe
Itanhaém, 15/01/2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário